SIGUE Jovem | SIGUE Administrativo |

Você está em: Página Inicial › Explorando  
 

fogo de conselho

O que é Fogo de Conselho
fonte: http://www.12gemarmarciliodias.hpgvip.ig.com.br


Clique aki para colorir a chama da sua fogueira no Fogo de conselho.


O Fogo de Conselho, como muitas das atividades que caracterizam a mística e ambientação do Programa Escoteiro, tem sua origem nas observações do Fundador sobre os costumes, valores e tradições culturais dos muitos povos que conheceu durante suas viagens.
Os nativos da Ásia, os selvagens africanos, os peles-vermelhas da América e mesmo os colonizadores brancos, reuniam-se em torno de fogueiras, que com sua luz e calor espantava as trevas, o frio e os animais selvagens. Era um momento em que todos se encontravam para conversar, cantar, contar estórias ou para planejar caçadas, a paz ou a guerra.
As fogueiras ao ar livre já existiam muito antes do fundador ter imaginado o Escotismo. Seus efeitos mágicos e práticos acompanham o homem desde a sua origem até hoje. Essa origem se perde no tempo, remontando desde os tempos mais remotos, quando o homem dormia ao ar livre. O fogo era utilizado para afastar animais ferozes e também como local de reunião dos grupos familiares, aquecendo, iluminando e alimentando. Pois, era sobre ele que os alimentos eram preparados e ao seu redor, eram consumidos. O fogo já era um símbolo da energia da vida, da luta pela sobrevivência.
Baden Powell, ao criar o Fogo de Conselho se inspirou em rituais semelhantes. Os índios americanos faziam reuniões em torno das fogueiras, para comentar seus feitos do dia, suas aventuras e suas preocupações. Era ali, que eram tomadas as grandes decisões. Já na África, aparecia a figura do "contador de histórias", o homem que sabia de cor toda a história da tribo e era o guardião de todas as tradições. Era ele quem, nas horas importantes, relembrava os exemplos mais adequados.
Muitas vezes dessas reuniões em torno do fogo, constituíam-se em solenidades, quando se aproveitava a ocasião para levar a efeitos cerimônias ou reuniões de conselhos, onde eram discutidos os problemas da comunidade ou reverenciados seus deuses.
Para o Escotismo o Fogo de Conselho é uma reunião noturna, em que todos se reúnem para se divertir, cantar, representar peças ligeiras, danças folclóricas , refletir ou aprender algo novo, iluminados pela luz de uma fogueira.
Essa atividade é uma forma de restabelecer o equilíbrio, após a excitação provocada por um dia cheio de empreendimentos mais ou menos esgotantes. É uma reunião parar rir, cantar, jogar alegremente em ambiente fraterno.

Importância para o Programa Escoteiro
O Fogo de conselho é uma atividade muito importante, sobretudo em acampamentos. É uma ocasião que pode e deve ser utilizada como elemento de desenvolvimento de caráter e da personalidade dos jovens.
Através das representações, jogos, pequenas palestras, canções e danças, num clima jovial e alegre, movimentado, interessante e informal cria situações propícias para desenvolver e incentivar no jovem:
a criatividade e a imaginação; a facilidade de expressão.; a alegria; a sociabilidade; a espiritualidade; cultivo às tradições; a autoconfiança; habilidades artísticas.
Para que essa finalidade educacional seja alcançada e indispensável que o Chefe ou Dirigente cuide sempre para que as atividades do Fogo de Conselho caracterizem sua expressão pelos Princípios Escoteiros.
É importante que o Chefe conheça previamente o conteúdo das esquetes, canções e brincadeiras que serão apresentadas, recomendando alterações quando julgar necessárias.
Portanto é necessário que situações inconvenientes sejam tratadas com cortesia e firmeza. O Dirigente pode valer-se desses acontecimentos, que serão raros, para propor uma reflexão de todos os pressentes sobre o acontecido. Isso também é educação.

Diferenças para a lamparada
Normalmente a lamparada é realizada quando as condições do tempo não permitem a realização de atividades ao ar livre. Mas nada impede que seja programada uma lamparada, pois nesse caso podemos solicitar às Patrulhas ou equipes uma melhor preparação e utilização dos recursos de iluminação e som, não possiveis em um Fogo de Coselho.
Devemos estar sempre preparados para substituirmos a fogueira por um lampeão, ou até mesmo uma engenhoca bem criativa. Veremos que a criatividade dos jovens é muito grande.

Tipos de Fogos de Conselho
O tipo e o tamanho da fogueira dependem do Fogo de Conselho que queremos fazer. A concepção inicial de Baden Powell era de uma reunião intima de uma Seção. Este continua sendo o mais significativo de todos os Fogos de Conselho.
Atualmente são realizados Fogos de Conselhos maiores, envolvendo várias Seções, um Grupo, uma Região ou grandes atividades. Neste caso, os pais e membros da comunidade podem ser convidados.

Quanto aos participantes
a) de seção
Normalmente realizados em acampamentos. Dele participam apenas os membros da seção e seus chefes. As apresentações são por Patrulha ou individuais.
b) de grupo
É realizado com menos freqüência que o primeiro. Dele devem participar todas a seções do Grupo Escoteiro, que prepararão as apresentações por seção.
c) de relações públicas
É uma atividade programada com o objetivo de dar ao público ou a determinada parcela da comunidade uma amostra desse tipo de atividades escoteira.
Sua realização deve ser cercada de maiores cuidados na preparação do local, da fogueira e todos os outros detalhes.
Esse tipo de Fogo de Conselho é mais um espetáculo de Teatro de Arena à luz do fogo e que por isso perde muito da característica do Fogo de Conselho: o improviso, a espontaneidade e o clima informal.
É uma atividade válida mas a sua organização tem que ser cuidadosa, pois muitas vezes pequenos detalhes distorcem a imagem que gostaríamos de transmitir aos convidados.

Componentes
No Fogo de Conselho a chave do sucesso também se chama planejamento. É preciso portanto tomar as medidas necessárias para que essa atividade cumpra os seus objetivos.

Local
Não deve ser muito afastado do acampamento, mas será ótimo que não tenha sido usado para outras atividades. Normalmente, forma-se uma ferradura em torno da fogueira, devendo ser observada a direção do vento, para evitar que a fumaça atrapalhe.
O local deve permitir que todos se sentem, e exista espaço para as apresentações e recuar os participantes, caso o fogo ficar muito quente. Deve oferecer a privacidade ao público a que se destina. Por exemplo, num Fogo de Conselho de Seção, outras Seções não devem participar. Esta privacidade faz com que os jovens se sintam mais a vontade.

Fogueira
Deve ser preparada com antecedência pela Patrulha de Serviço, que deverá possuir conhecimentos adequados para essa tarefa. Se não for esse o caso, um chefe poderá estar presente para orientar os trabalhos de preparação. Cobrir a fogueira para evitar o orvalho.
Não esquecer de observar a direção do vento e o tamanho da fogueira, para que o calor de chamas muito altas não perturbem os participantes nem danifiquem a vegetação próxima. Deve durar o tempo do Fogo de Conselho, evitando-se fogueiras muito grandes, que além de consumirem muita lenha, fazem com que os participantes tenham que ficar muito distantes para evitar o seu calor.
A fogueira pode ser do tipo: pirâmide (bastante luz); estrela (pouca fumaça,luz e calor), caixa de doce (duradoura, bastante luz e calor) ou canadense (bastante luz e calor e mais duradoura)
É importante existir pessoa encarregada de realizar o trabalho de aliamentar a fogueira, se houver necessidade. Nesse caso, deverão fazê-lo entre um número e outro, para não interferir nas apresentações, palestras, etc. O material para alimentar a fogueira, deve ser colocado fora da ferradura do Fogo de Conselho.
Todos os cuidados com a segurança devem ser tomados, o local para o fogo deve ser limpo e sem grama. No caso de existir grama, ela deve ser removida em quadrados de 12 cm de espessura. Após o Fogo de Conselho devemos nos assegurar que não existam brasas que possam provocar algum incêndio. No dia seguinte realizar o rescaldo, a eliminação dos vestígios, a troca do solo, se necessária, bem como o replantio da grama.

ISCAS PARA FOGO
Massa de isopor - misturar isopor e gasolina. Algodão e parafina - Mergulhar um pedaço de algodão na parafina derretida. Saquinho de pano - Esfarele uma vela e coloque dentro de uma pequena trouxinha de pano. Composto GIP - Misturar gasolina, isopor e pólvora.
Caso se utilizem líquidos combustíveis (álcool, gasolina, querosene, parafina e outros) nunca deve ser colocado após o fogo ter sido aceso a partir da garrafa ou recipiente que a contém, pois existe o risco do fogo residual incendiar o liquido e explodir a garrafa. O procedimento correto é colocar o líquido em uma lata ou recipiente de boca larga e utilizar uma haste ou bastão para levá-lo ao fogo.

Dirigente
É recomendado que os jovens dediquem parte do tempo das reuniões de sede (de Tropa ou de Patrulha), para prepararem-se para o Fogo de Conselho.
O Dirigente deverá planejar e dividir as tarefas. Escolher o(s) animador(es) e elaborar a programação. Realizar a abertura e o encerramento. Elaborar e apresentar o Minuto do Chefe. Cuidar para Qualquer atividade, bem planejada com a devida antecedência, tende produzir melhores efeito. Um Fogo de Conselho anunciado no próprio acampamento, para o qual os jovens não tiveram oportunidade de se prepararem, perderá parte dos aspectos educacionais e o interesse dos participantes.
Para que os Princípios do Movimento Escoteiro sejam observados, o dirigente do Fogo de conselho deve reunir as seguintes características: jovialidade; cortesia firmeza; entusiasmo liderança; conhecer canções e atividades próprias de Fogos de Conselho.

Programa
Um bom programa tem os seguinte ingredientes: canções calmas e movimentadas, alegres ou inspiracionais; jogos calmos ou agitados; concursos; estórias e palestras curtas; representações e oração. Esses elementos intercalados da maneira adequada e dirigidos com entusiasmo, resultarão no sucesso da atividade.
Os aplausos também são fator de animação para o Fogo de Conselho. Deve-se estimular a criatividade e a rapidez. Muitas vezes, os aplausos e agradecimentos relacionam-se com a apresentação que acabou de ser encerrada.
Para conseguir um bom programa é preciso duas coisas: um bom dirigente ou animador do Fogo de Conselho e uma preparação prévia.
É necessário que o dirigente ou o Chefe da Tropa avise aos Monitores, confirmando o dia e a hora do Fogo de Conselho com antecedência, pedindo então que cada Patrulha prepare um representação ou um número que seja de interesse e adequado à ocasião.
Nas seções novas, é convenientes dar temas, que facilitem e orientem o trabalho dos jovens, sem no entanto impedir sua criatividade. Melhor ainda é apresentar uma lista de sugestões e deixar que escolham ou sugiram algo equivalente. O importante é que não façam algo medíocre por falta de inspiração.
Uma hora antes da atividade o dirigente terá montado o programa, ficando as canções, jogos e estórias sob sua responsabilidades e as representações das Patrulhas intercaladas adequadamente, para produzir um conjunto equilibrado.
Como parte importante do programa estão a abertura e o encerramento, ambos tem que ser momentos marcantes. Não precisa ser graves, mas devem ser inspiracionais.

Distribuição das tarefas
Com o programa traçado caberá ao Dirigente a tarefa de manter a animação e o interesse dos participantes. Daí a importância de reunir todas as características citadas acima e conduzir a atividade com entusiasmo. É necessário criar um clima de alegria, animação e movimento, mas disciplinado e apropriado para os momentos de reflexão.

Partes de um Fogo de Conselho

Abertura
Geralmente a abertura de um Fogo de Conselho tem caráter formal. Pode ser feita por uma ou mais pessoas. Abaixo estão relacionados alguns dos itens que podem compor a abertura: · saudação aos participantes e mensagem de otimismo; · acendimento do Fogo com tochas ou engenhoca. · declaração de abertura do Fogo feita pelo dirigente. · canção animada de abertura.

Canções
As canções podem ter temas variados, desde as mais tradicionais do Movimento Escoteiro até modernas ou músicas populares.
Um bom dirigente deve ter uma pequena lista agrupada por: movimentadas, alegres, calmas, tradicionais. O ambiente e animação dos participantes determinará a escolha ou introdução de mais canções.
Não se deve utilizar canções complicadas que ninguém conhece. Elas devem ser simples e de fácil assimilação.
Para criar um ambiente mais alegre podem ser utilizados toca-fitas ou instrumentos musicais; inclusive aqueles improvisados pelos próprios jovens, que criam efeitos especiais, tais como latas com pedras, areia, assopros em garrafas com água e outros.

Brincadeiras, concursos, charadas e jogos
Estas atividades alegram o Fogo de Conselho. Os Chefes devem cuidar para que elas não causem constrangimentos, humilhações ou medo nos participantes. Elas devem ser agradáveis a todos.

Histórias
Histórias bem contadas cativam os participantes. O escuro da noite e o fogo criam um clima propício para contar histórias.

Esquetes
São representações teatrais de curta duração feitas pelas Patrulhas ou por alguns jovens. Elas criam oportunidades para os jovens perderem a inibição, desenvolvendo a facilidade de expressão, a comunicação e a criatividade.
Assim como as outras atividades no Movimento Escoteiro, as esquetes também evoluem de forma progressiva. Quando os jovens têm pouca experiência, as apresentações e os papéis que representam são simples. Com passar do tempo é esperada (e incentivada) a busca de melhorias no conteúdo e na representação de esquetes.
Alguns jovens trazem de fora do Movimento Escoteiro habilidades de representação que contribuem significativamente para a qualidade das esquetes.
A escolha dos temas pode ser feita pela Tropa, pela Corte de Honra, pela Chefia ou pela livre escolha da Patrulha.
A falta de treinamento, criatividade, motivação ou tempo para a pesquisa do tema e elaboração do roteiro da esquete e ensaios, faz com que os jovens improvisem as esquetes, repetindo muitas vezes os programas de TV. Esse procedimento diminui a possibilidade do jovem se desenvolver.
Existem vários critérios de avaliação das esquetes que podem ser empregados pela Corte de Honra ou Chefia: o tema é apropriado para o momento e tipo de Fogo de Conselho ?
o tema trará interesse e novidade aos participantes ?
o tema é adequado? Está de acordo com os Princípios da Promessa Escoteira ?
a distribuição dos papeis dá oportunidade a todos os elementos da Patrulha ou Equipe ?

Minuto de Chefe
Antes do encerramento deve haver alguns minutos, nos quais o Chefe da Tropa fará uma palestra curta sobre um tema inspiracional.
Este momento representa uma mensagem final relacionada com valores, objetivando de levar os participantes a uma reflexão. A mensagem não deve ser lida, nem ser moralista, nem ter o objetivo de criticar. Deve ser contada como uma história e ser uma mensagem positiva.

Encerramento
Geralmente o encerramento do Fogo de Conselho também tem um caráter formal. Pode ser formada a Cadeia da Fraternidade e cantada uma canção calma. É muito usada a Canção da Despedida, com sua saudação apropriada no final.

 

 

 


GEMAR ALMIRANTE ADALBERTO NUNES - 8º DF
EQS 114/115 - Brasília - DF
Atividades aos sábados das 14h00 às 17h30

Organização Mundial do Movimento Escoteiro Organização Mundial do Movimento Escoteiro Organização Mundial do Movimento Escoteiro